25 de abril de 2009

Dias maus


O caos tomou as ruas,
a casa está de pernas pro ar,
as crianças perderam a inocência,
a pressa vai nos ultrapassar.

Na esquina tem arma espreitando,
no beco uma mãe a chorar.
O ser humano a serviço do mundo,
corpos sem alma a vagar.

Lágrimas não rolam, coração amolgado.
Grito, choro; confundiram a liberdade,
à mercê de seus pruridos,
Sem horizonte, são aliados da maldade.

O mundo esta doente, em coma;
está no leito, a beira da morte.
Seus suspiros conduzem a corrupção,
Os gemidos desnudam nossa sorte.

As cortinas estão a se fechar,
a peça mal montada chora sua dor,
o espetáculo pronto a acabar,
o espectro acompanha o espectador.

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz.

"Vigiai, pois, com cuidado sobre a vossa conduta:
que ela não seja conduta de insensatos, mas de sábios
que aproveitam ciosamente o tempo, pois os dias são maus.
Não sejais imprudentes, mas procurai compreender qual
seja a vontade de Deus." Ef 5, 15-17.
Postar um comentário