2 de novembro de 2009

Desabafo de mãe

É certo que o tempo ultimamente
Passa rápido demais, nem o vi crescer!
Agora deparo com xingamentos,
malcriação e desobediências...

Pergunto-me onde errei neste caminho.
Ele não ouve-me mais, a atenção é
Toda de seus colegas, pois nem os chamo
de amigos, só o levam para o mau caminho.

A casa virou seu dormitório, não sei ao
menos onde ele se alimenta, tamanha é
Sua rebeldia. Outrora perguntava se
Poderia sair, hoje chega dizendo onde vai,
e quando diz...

Meu Deus! Que será deste menino?
Perdi totalmente o controle sobre sua vida.
Acho que desde sua infância deveria dialogar
com ele. Uma boa conversa na cabeceira da
cama minimizaria essa situação hoje!

Não sei descrever como são seus
Amigos, tão assustadores que são!
E o que mais me assusta é saber
que iludi-me pensando ser seu amigo.

O trabalho atrapalhou nosso relacionamento,
Lembro dele me chamando para conversar,
O cansaço me impedia. Lembro dele chorando
A me procurar, os afazerem me barravam...

A televisão o educou, ela é uma mãe perversa!
A Internet o ensinou, ela é uma fria madrasta!
Hoje seus olhos fogem dos meus, e seus
Ouvidos se fecham ao me ouvirem falar!

Vou correr atrás do tempo perdido,
Nunca é tarde para recomeçar...
De qualquer jeito eu vou o reconquistar,
A palavra mãe, ele vai confundir com amor,
Quando de mim for lembrar...

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz
Postar um comentário