12 de janeiro de 2010

Erros


Quantos erros em vão
sem aprender com eles
quanta imcompreensão
causa de tantos sofrimentos

A vida bate a sua porta
Não tardes em abrir
A felicidade tem pressa
Não demores em ser feliz

Conto os dias, as horas
que passam depressa demais
O passado me causa nostalgia
Choro pelos passos desiguais

Lágrimas rolaram na praça
Quantos homicídios com olhar
Desconfiança fora de hora
E palavras ditas sem pensar

Quando diante do abismo
Uma luz apareceu a brilhar
A força de seu amor refletiu
E me devolveu o sentido do amar.

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz
Postar um comentário