29 de dezembro de 2012

Simpatias de fim de ano


     
"Deixai-vos surpreender por Cristo" Papa Bento XVI

         Interessante que vai se aproximando os últimos dias do ano, e algumas pessoas, que se dizem católicas fiéis ao Papa, aderem a vários tipos de superstições correntes na mídias e costumes de outras religiões ou seitas. Inventam mil e uma maneiras de "passarem" bem o ano, ou entrarem com o "pé direito" no ano vindouro. Vejamos o que o Catecismo nos ensina sobre a supertição: "A superstição é um desvio do culto que rendemos ao verdadeiro Deus. Ela se mostra particularmente na idolatria, assim como nas diferentes formas de adivinhação e de magia."( §2138) Estes "infiéis católicos" não sabem que a melhor maneira de entrar no ano novo é com a alma leva e livre de todo pecado, e o melhor jeito é confessando-se, pois somente deste modo partirá do coração propósitos sérios de uma vida santa.
        Neste sentido, para iniciar um ano novo bem, é preciso estar bem, mais bem longe da maldade. Se tem algo que nos tira a alegria é o pecado. Há uma frase célebre  de Santo Agostinho que diz o seguinte: "o pecado é motivo de sua tristeza, deixa que a santidade ser o motivo de sua alegria." A frase é sintética, porém toca na base fundamental de toda a desordem, o pecado.

        Surpreendente que não há infelicidade maior comparada a realidade do pecado. Só há algo maior. Não saber o que é e o que não é pecado, a consciência está tão fora de órbita - a órbita de Deus -a ponto do indivíduo ao menos se reconhecer pecador necessitado da misericórdia de Deus. Não foi justamente para nos libertar do pecado e nos salvar que Jesus nos visitou?
     
        Assim sendo vai uma dica para quem não se confessa, pois se considera sem pecados, ainda enche a boca para dizer orgulhosamente o famoso jargão: "não roubei e não matei, para que me confessar?" São Paulo nos ajuda a decifrar o que realmente é pecado, assim ele nos diz: "Ora, as obras da carne são estas: fornicação (sexo antes do casamento), impureza (pornografia, masturbação, voyeurismo, etc.), libertinagem, idolatria (idolatrar o dinheiro, a fama, o sucesso, o poder, o namorado (a), etc.), superstição (inclui as do fim de ano), inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias (homossexualismo) e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!" (Gálatas 5, 19-21). O Apóstolo das nações é bem claro no que diz respeito ao pecado. E ainda nos deixa um alerta: "os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus". Depois de lermos esta passagem é até uma afronta contra a misericórdia de Deus dizer que não temos pecado e não precisamos confessar.
        Caso tenhamos dúvidas sobre o sacramento da confissão, aqui está, ele é bíblico e foi Jesus que instituiu: "Aqueles a quem perdoardes os pecados, lhe serão perdoados; aqueles a quem os retiverdes, lhes serão retidos" (São João 20, 22-23). Ainda acerca do pecado lemos de Jonh Bunyan: "O pecado é um desafio à justiça de Deus, um roubo de sua misericórdia, um zombar de sua paciência, um desprezo a seu poder, um desdém a seu amor". Lembre-se que o confessionário é o único tribunal que você entra culpado e sai absolvido, por isso, confie na misericórdia do Senhor e busque uma boa confissão, Jesus te espera de braços abertos, a fim de te perdoar.

        Enfim, aos "infiéis católicos" fica a dica, façam uma mudança de hábito este fim de ano, então quem sabe ano que vem se tornem mais fiéis à fé professada. Ao invés de lançar flores ao mar, presenteie com várias rosas (Rosário) a Virgem Maria; ao contrário de levar oferendas a Iemanjá na praia, oferte sua vida no altar do Senhor durante a  Santa Missa; ainda mais, ao invés de promessas falsas na virada de ano, renove as promessas de seu batismo; ao invés de vestir-se de branco, transfigure-se na branca hóstia do altar; e no lugar de pular as sete ondas no mar, pule sete vezes mais longe do pecado. Não esqueça que as pessoas comum no final do ano mudam o calendário, contudo, as pessoas extraordinárias mudam de vida.

Um feliz e santo 2013, cheio das surpresas de Deus. Ano da Fé e da JMJ Rio 2013.

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz

Postar um comentário