23 de setembro de 2011

Paz





O templo de Deus inspira paz,
Sentimento pelo mundo querido.
Ícones, imagens, no quadro um santo audaz,
O crucificado exprime, na cruz, um grito incontido:

 “Paz!” Isto Ele quis dizer;
“Capaz!” Eu posso ser.
Viver a capacidade do amor,
Idêntica a que Ele viveu no lenho da dor.

 O amor é a face divina da paz,
A justiça é a face humana do amor.
A morte numa cruz horrenda,
É vida cedida em oferenda.
Sacrifício renovado no altar,
Oblata imolado por amar.

O templo de Deus instiga o amor.
Não há, um só ser capaz,
Que sem justiça, aufira a paz,
Ou o amor, sem sacrifício e dor.

 Graça e Paz, xP.

 Rodrigo Stankevicz
Postar um comentário