5 de setembro de 2011

Confissão



Bati na porta do confessionário,
Acolheu-me a compaixão.
O perdão pediu para assentar-me,
E ali minhas misérias deixar.
No sacramento da confissão
não encontrei nada além da misericórdia.
Asas ganhei, voltei a voar!
Toquei o céu num só alceio,
Queria de amor gritar,
Eis a bela verdade:
Liberdade, liberdade!
Somente o Senhor pode me dar.
As mãos do padre beijei,
De joelhos fiz a penitência,
Agora viver  em tudo a paciência.
Sou pecador perdoado;
Mais que isso: amado!
Despedi-me, para breve voltar,
Pois preciso limpo sempre ficar.

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz
Postar um comentário