2 de outubro de 2011

Felizes seríamos





Quando compreenderemos que a retribuição de tapas devem ser flores. 
Que insultos precisam ser revidados com sorrisos.
Que o perdão liberta a alma, cura a amargura e exalta a paz.
Será que estamos longe de saber que a paz se inicia em casa,
e além do pão nosso de cada dia, temos fome de amor, 
e que esta fome somente se mata com o "eu te amo" de cada dia.

Entenderemos um dia, que não vale a pena se importar com que os
outros falam, isso não eliminará as críticas a você, nem o fará perfeito.
Que maturidade se adquire com experiência de vida e não com idade.
Entenderemos um dia, que liberdade não é fazer tudo o que queremos, 
sem medir atos e consequências, antes é ter domínio de si próprio.

Quando aprenderemos que esconder o sofrimento com sorrisos 
é mascarar a própria vida.O sofrimento é inerente ao ser humano,
e dever ser encarado com coragem e maturidade.
Ouvir um sábio ancião, as vezes, é mais seguro que persistir no erro, 
e mesmo o erro, é uma ponte de possibilidades para o acerto. 

Quando aprenderemos que a culpa nem sempre é do outro,
que somente no outro encontro a plenitude do meu ser.
Que o individualismo nos leva somente ao egoísmo, pois
o Homem não é uma ilha, mas é membro de um grande corpo.

Ah!Se compreendêssemos, que um olhar e um abraço valem 
mais que mil palavras, que rosas expressam amor e são mais 
valiosas que os mais belos diamantes.

Que quando você entra na vida de alguém, junto está recebendo 
um mapa de tesouros, ao qual ao longo da vida servirá para 
descobrir uma fortuna de valores e sacralidade.
Esse mapa existe para unir as duas almas em um só amor.

Quando descobriremos que nem tudo pode ser relativizado, 
que existe alguém maior que tudo que conhecemos.

Que a vida é feita também de privações, e isso não é o pior.
E que é necessário saber viver na abundância e penúria,
na tristeza e alegria, na dor e felicidade, pois o que é
grandioso e duradouro é o que vai e vem da alma.

Quando descobriremos, que não saber ler nem escrever não é burrice,
Mas burrice é achar que o analfabeto nada pode acrescentar em sua vida.
Nem tudo na vida pode-se comprar, por exemplo a felicidade.
Quando descobriremos que se a cartomante lê sua história em 5 minutos, 
muito pouco vale sua vida. Que você foi planejando desde toda a 
Eternidade no coração do Criador, e é muito precioso a seus olhos.

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz 
Postar um comentário