29 de maio de 2012

#RespeiteaCasadeDeus



Participantes do E+Blog, encontro dos blogueiros católicos, estão promovendo um protesto contra a intolerância religiosa por parte de um grupo de manifestantes, que invadiram o espaço da Igreja de Nossa Senhora de Copacabana no último dia 26 (ver vídeo).

http://1.bp.blogspot.com/-TPAhuk9FxIQ/T3B3KA86kKI/AAAAAAAAIHc/suxpqLdKQVs/s1600/EBLOG.jpg
No microblog Twitter estão usando a hastag #RespeiteacasadeDeus acompanhado de uma mensagem de desagravo pelo ocorrido. O início do protesto será às 00:01 do dia 30/05/2012 até às 23:59 do mesmo dia. No facebook (VER IMAGEM A CIMA) no mesmo dia compartilharão imagens com as seguintes frases: "Contra a intolerância Religiosa" e "Respeite a Casa de Deus", "Pelo respeito ao sagrado e aos valores cristãos", etc. Entre nesta campanha e nos ajudem a propagar a mensagem de indignação com muito respeito e honestidade, não podemos nos igualar às pessoas da tal marcha.

Veja reportagem do RJTV mostrando uma paroquiana com a mão sangrando depois de ser agredida pelos manifestantes (Ver vídeo).

"Manifestantes da "Marcha das vadias" invadiram o espaço da igreja durante uma missa com crianças. Com os seios de fora e nenhum puder, desrespeitaram protestando contra a Igreja Católica. Foram contidos por seguranças do local, guardas municipais e policiais.

 "A Polícia Militar  interveio e um policial chegou a disparar  gás de pimenta para dispensar os manifestantes, mas ninguém foi preso ou ficou ferido. No início da caminhada, houve um desentendimento entre participantes do movimento e membros da Guarda Municipal, que queriam proibir a manifestação na Avenida Atlântica alegando que atrapalharia o trânsito. O problema foi solucionado com a chegada da Polícia Militar e a marcha seguiu em duas faixas da via." (fonte: JB online)



"Parte do grupo tentou entrar na igreja e uma das manifestantes tirou a camisa, ficando com os seios de fora no pátio do templo, o que provocou revolta de algumas pessoas que assistiam a uma missa.
A PM interveio e um policial chegou a usar gás de pimenta para dispersar o grupo. Uma mulher ficou ferida levemente na mão. Ninguém foi preso, e a marcha seguiu até a 12ª DP            (Copacabana), de onde os manifestantes voltaram para o ponto de partida, no Posto 4. "Invadir a igreja sem roupa eu acho desrespeito. Era uma missa de crianças, elas não precisam ver isso", desabafou um frequentador da missa."
(Fonte: G1.com.br)


                                                         (fotos JB)

 Um total desrespeito contra todos nós católicos, pois invadiram a casa de Deus, a nossa casa, em pleno culto sagrado com crianças. Não podemos nos omitir, nosso protesto precisa conscientizar a sociedade sobre os rumos que a intolerância religiosa está tomando. Porém, nosso protesto deve ser civilizado, mesmo sendo nas redes sociais, para darmos testemunho do Senhor.

A arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro emitiu nota consternada com o ocorrido:


 A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro vem a público manifestar o seu profundo desacordo e a sua justa indignação diante da invasão, feita por participantes de uma marcha de pessoas, no dia 26 de maio passado, às 16h, na Igreja Nossa Senhora de Copacabana, em Copacabana, enquanto se celebrava a Santa Missa para as crianças. A Igreja Católica quando discorda de posições manifesta-se de maneira cordata e civilizada e nunca invade os locais em que as pessoas estão reunidas. Esse fato demonstra a intolerância religiosa, ofende a dignidade da pessoa humana e a liberdade de professar a fé.

Em nome do povo católico da Cidade Maravilhosa e de todas as pessoas de boa vontade, a Arquidiocese do Rio de Janeiro deseja que os movimentos sociais que lutam pelos seus objetivos respeitem a religião e os espaços sagrados reservados para o culto, para a convivência pacífica entre todas as pessoas e, principalmente, para o encontro com Deus, Criador de todos os homens e Salvador da humanidade. (Fonte: site da Arquidiocese)


Também o Bispo auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Antônio Augusto, divulgou artigo no site da arquidiocese:


O Sagrado e as marchas

O respeito ao sagrado encontra-se presente ao longo de toda a história da humanidade, em todas as civilizações e culturas, e, ao ser reconhecido esse espaço divino na vida dos povos, é possível estabelecer as condições para que os lugares, as pessoas e os objetos sacros sejam realmente valorizados e protegidos.

Infelizmente, nos últimos anos, o Brasil tem presenciado, com surpresa e, às vezes, com justa indignação, uma série de ataques verbais e até mesmo físicos à Igreja Católica.

Recentemente, por razão de uma Marcha – que não merece aqui sua identificação – houve a invasão da Igreja Nossa Senhora de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, no horário em que se celebrava a Missa para as crianças.

Palavras ofensivas, atitudes despudoradas, reações violentas, agrediram e desrespeitaram profundamente a sacralidade desse local e, se não tivessem agido as forças de segurança da cidade, não se poderia prever qual seriam os resultados de tamanha afronta à fé dos cidadãos católicos da nossa Cidade Maravilhosa.

A Igreja Católica é – e sempre será – uma grande defensora dos valores humanos e sociais que dão a garantia de que o Brasil, com seu caráter acolhedor, solidário e respeitador das diferenças étnicas, culturais e religiosas, continua configurando a nossa civilização e cultura aberta para todos.

O que a Igreja Católica não pode aceitar são grupos minoritários que, querendo impor na sociedade carioca a violência, a balbúrdia, o desrespeito e a agressividade verbal, acreditam estar certos nas suas formas de reivindicar direitos.

Os católicos que presenciaram essa invasão do espaço sacro da Paróquia Nossa Senhora de Copacabana, e aqueles que a assistiram pelos noticiários televisivos e pela rede social, pedem aos cidadãos cariocas que, daqui para frente, debatam seus direitos e não ofendam a Igreja, dialoguem suas ideias e não a caluniem, respeitem as diferenças de valores e não agridam com palavras e gestos a nossa Mãe, a Igreja Católica.

As religiões cristãs reconhecem no próximo um irmão e uma irmã em humanidade. Oferecem a todos a possibilidade de conhecer Deus, e isto em plena liberdade.

Assim elas contribuem à edificação de uma sociedade onde o respeito mútuo, a fraternidade e a solidariedade estão muito acima das diferenças culturais, ideológicas e até mesmo religiosas.

Oxalá o triste fato do último dia 26 de maio não volte a acontecer e que qualquer Marcha com intenção de visibilizar alguma luta social, que é digna de ser tratada, seja pacífica e, principalmente, não seja nunca mais invasora de espaços sagrados da Igreja Católica.

(Fonte: site da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro)

Termino com um trecho do poema de Vladimir Maiakóvski:

DESPERTAR É PRECISO

"Na primeira noite eles aproximam-se e colhem uma Flor do nosso jardim 
e não dizemos nada. Na segunda noite, Já não se escondem; pisam as flores, matam o nosso cão, e não dizemos nada.
Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos 

a lua e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. 
E porque não dissemos nada, Já não podemos dizer nada."

Não vamos nos calar, pois amanhã pode ser tarde demais!

Graça e Paz, xP.
Rodrigo Stankevicz

Postar um comentário