13 de outubro de 2010

Mulher das estações


Ela beija-me como uma leve brisa
Seus lábios contem o impacto do amor
Ela é o brilho do sorriso amoroso
O matiz da arte plástica incolor

Ela me entorpece com seu primor matinal
A aurora a inveja por tão singela beleza
Os olhos que filtram seu encantamento,
Destilam, chorosos, a essência da pureza

Ela reuni em si todas as estações:
A elegância do outono, a vaidade da primavera
O silêncio que rege as noite frias do inverno
Do verão o tempero, o calor que me espera

Ela cativa-me com seu doce mistério
O Indico que há em si, vem me revelar
Que de suas profundezas, emana duma mulher
O equilíbrio, que todo homem sonha encontrar

Dante almejou encontrá-la do inferno ao céu
Na beatitude celeste por ela foi condecorado
Ela é a luz no caminho perfeito do amor
Que inspira a busca incansável do amado

Graça e Paz, xP.

Rodrigo Stankevicz
Postar um comentário